Nossas Unidades
Unidade Perdizes
Unidade Itaquera

A A A
Notícias

Curso de Medicina é reconhecido com nota máxima no MEC

Data de publicação: 10/04/2017

Inovações curriculares reforçam a face de humanização da proposta de ensino

 

O curso de Medicina da Faculdade Santa Marcelina conquistou a nota máxima no processo de reconhecimento do MEC, após visita da comissão de avaliadores no início de abril. O conceito reforça a qualidade do curso, que já havia sido aprovado, em 2011, com a nota 5. “O resultado privilegia um projeto construído para ter o SUS e a atenção básica como o foco da formação de médicos generalistas e conscientes do seu papel na sociedade”, afirma o Dr. Pedro Vital, gestor do curso de Medicina da FASM.

 

Com um modelo de ensino inspirado em princípios de Metodologia Ativa, num sistema misto de aprendizagem, o curso se destaca pela carga horária prática de quase 60% ao longo dos seis anos da faculdade. O amplo campo de estágio, formado pelos hospitais da Rede de Saúde Santa Marcelina; Assistência Primária à Saúde - APS - Santa Marcelina; e o AME – Ambulatório Médico de Especialidades na Zona Leste, permite a inserção do aluno na atenção básica desde o primeiro período do curso.

 

A faculdade está localizada na zona Leste de São Paulo, uma das regiões mais populosas e carentes da cidade. Neste cenário, os avaliadores do MEC reconheceram a importância do curso de Medicina pelas obras sociais e projetos de extensão e pesquisa que desenvolve, como participação em campanhas de saúde da comunidade, visitas técnicas e trabalhos voluntários às instituições médicas, encontros de sociedades e associações de classe entre outros.

 

Além disso, nos últimos dois anos, a faculdade, em parceria com o Hospital Santa Marcelina, disponibiliza aos professores e alunos a possibilidade de vivenciarem a atuação em assistência à saúde nas regiões Norte e Nordeste do Brasil e em outros países, como Benin. “Os territórios, identificados por maior vulnerabilidade social, permitem trabalhar com foco na atividade multiprofissional e a eficiência na atenção”, complementa o Dr. Pedro Vital. Outro destaque apontado pelos avaliadores é que, ainda que se trate de uma instituição confessional, existe espaço para discussões que dizem respeito ao pluralismo moral, a ciência e a cientificidade em um ambiente responsavelmente tolerante.

 

Para a Irmã Maria Aparecida Matias de Oliveira, diretora-geral da Faculdade Santa Marcelina, o reconhecimento é resultado de muito esforço de uma equipe que abraçou o carisma Marcelino de educar.  “Alcançar nota máxima no MEC é sinônimo das graças e bênçãos de Deus, que continua contando conosco para transformação da sociedade por meio da educação”, afirma.  Irmã Aparecida destacou ainda a responsabilidade da instituição em dar continuidade ao seu trabalho de excelência em todas as áreas de atuação em que atua. “Essa é uma missão de graça e de luz”.

 

Outros diferenciais do curso apontados pelos avaliadores que contribuíram para o conceito 5 são o Serviço de Apoio Psicológico e Psicopedagógico destinado ao acolhimento à comunidade acadêmica nas dificuldades de aprendizagem e na resolução de conflitos, seja de natureza pessoal e/ou profissional. A infraestrutura disponibilizada aos alunos, como salas de aula, laboratórios e biblioteca, também foi fundamental para a composição da nota máxima.

 

O processo de reconhecimento do Ministério da Educação é condição necessária para a validação nacional do diploma e deve ser solicitado quando o curso de graduação tiver completado 50% de sua carga horária. “O reconhecimento com nota máxima por parte de avaliadores do MEC é a maior prova da excelência de um curso. No caso de Medicina, os pontos mais importantes são um projeto pedagógico consistente, docentes comprometidos com a qualidade do ensino-aprendizagem e um campo de estágio com cobertura de todos os níveis de complexidade na assistência à saúde da comunidade”, explica a Profª Suli de Moura, diretora acadêmica, da Faculdade Santa Marcelina.

 

 

 

Fonte: Unidade Itaquera